Na real, por que você se preocupa?

 em Blog

Eu já perdi as contas de quantas vezes eu ouvi: ”o problema de fulano é tão grande, mas você não sabe o tamanho do meu”, ou então: “não sei mais o que eu faço da minha vida, tudo de ruim só acontece comigo” e outras tantas lamentações.
Todo mundo tem problemas, isso é um fato, todos nós nos preocupamos, isso é outro fato, agora saber filtrar o que nos afeta e nos torna vulneráveis é a grande questão, vamos bater um papo sobre isso?
Então… você sabe o que é preocupação? Segundo o dicionário – bem resumidamente – é a perda da tranquilidade de espírito, devido ao interesse ou sentimento de responsabilidade que se tem por certas pessoas ou coisas.
Se preocupar como o próprio nome diz é antecipar uma coisa que ainda não chegou, e que você acha que vai vir. Nosso cérebro é muito literal, por muitas vezes você vai se pegar pensando em coisas completamente sem cabimento, que não fazem o menor sentido só por causas de neuras relacionadas a situações que ainda nem aconteceram e o pior é que vai ser muito difícil focar em outras coisas enquanto essas “ameaças” girarem na sua mente, e isso se repete quando se trata de emoções e sentimentos.

Quantas vezes você já começou a fantasiar situações que eram extremamente aleatórias e sem cabimento só por que interpretou errado um olhar do seu marido? Ou então uma resposta que recebeu no Whatsapp e tirou sua paz por horas a fio. Ou dias…
Isso sem falar sobre todas as vezes que você já se deparou com situações em que a sua preocupação te impediu de fazer as coisas, te colocando pra baixo com o medo do fracasso.
O negócio é o seguinte, vou falar pra você agora que se suas preocupações não te levarem a agir de forma a resolver as situações é simplesmente inútil se preocupar, analise os problemas que surgem de acordo a importância que eles tem e já pensando de que forma você pode resolver esses problemas.
Tenha sempre em mente que as coisas boas virão e que se for uma intempérie, uma fatalidade, você não terá como evitar.
Coloque na balança a preocupação: o que de pior pode acontecer e que atitude você pode tomar para que os danos sejam menores, minimizados.
Não seja sua pior inimiga! Use sua inteligência a seu favor! Se você ficar se derrubando sozinha fica difícil né?! E aí venho te fazer essa pergunta: “na real, por que você se preocupa?”
Analisando corretamente seus problemas atuais, sejam eles financeiros, relacionais, conjugais, as suas preocupações tem te motivado a tomar atitudes que resolvam as coisas? Ou simplesmente te colocam tanta pressão que você se sente deprimida e não consegue fazer nada?
Será que realmente vale a pena ocupar sua cabeça com algo que ainda não aconteceu? Eu não estou falando aqui pra você virar uma pessoa super desatenta com a “hora do Brasil”, não é isso, só quero que você reflita os prós e os contras de todo esse turbilhão mental que você tem passado.
Pra evitar ficar muito focada nesses problemas, tente fazer algo com que você se identifica, escolhe um livro pra ler, assista um filme, não deixa que sua mente se encha só com neuroses! Sua mente precisa de ordens. Dê outras ocupações a ela, se cuide mais, se valorize que trará resultados!!
Nós temos uma mega inclinação a imaginar o pior, a morte, a perda, o caos financeiro, mas vale sempre lembrar que imaginar essas coisas não fazem elas acontecer, pra ser bem sincera só torna todo o cenário mais caótico na nossa mente.
Escolha ser mais leve. Não aumente seus problemas, será que todas as vezes que seu marido te respondeu de alguma forma que você não gostou significa que ele deixou de te amar? Será que todas as vezes que seu filho tirou uma nota baixa na escola foi porque ele não se esforçou o suficiente?
E aprofundando um pouquinho mais… pensar de forma tão alarmante nos problemas fizeram com que eles fossem resolvidos ou só fez com que eles tomassem proporções tamanhas que você achou simplesmente impossível de lidar?
E a dica de ouro é: critique seus pensamentos. Coloque na balança o que é fantasia e realidade. Quais são as possibilidades reais das preocupações acontecerem. Colocar os problemas do tamanho que eles realmente são facilita – e muito – a sua resolução, pense de forma alternativa.
Não se renda ao desânimo, mostre pra você mesma o quanto é capaz de administrar as pressões, vai valer muito a pena!!
Espero que essas dicas tenham feito algum sentido pra você. Seja mais descontraída para com as coisas da vida, seu casamento vai fluir melhor, seus filhos serão mais tranquilos e principalmente você, muito mais feliz!!

Pessoal, se você chegou até aqui eu super te parabenizo e quero te dizer que no nosso canal do youtube tem um vídeo super legal e que conversa muito com isso, não perde essa chance não, tenho certeza que você vai adorar, vou deixar o link aqui e não esquece de dar uma passadinha lá!!

Esse é o link do vídeo que falei, não esqueça de dar uma olhada, abraços!!
https://www.youtube.com/watch?v=h7WUe-V-TFM&t=12s – Afinal de contas, que raios é inteligência emocional?

Postagens Recentes

Deixe um Comentário